2ª Feira de Múltiplos Saberes

Confira tudo que rolou em nossa 2ª Feira Interna...

Festa Junina Interna

Veja todas as Filmagens das Apresentações...

Oficina de Robótica

Não deixe de visitar nossa FanPage...

Estudante Online

Mantenha-se conectado com tudo que rola na escola...

Aluno Destaque

Confira os Homenageados no 2º Bimestre de 2016...

segunda-feira, 21 de março de 2016

Páscoa 2016

A Páscoa já chegou em nossa escola!









sexta-feira, 18 de março de 2016

Estudando Fotografia

Introdução

Fotografia (do grego [fós] ("luz"), e [grafis] ("estilo", "pincel") ou grafê, e significa "desenhar com luz e contraste"), por definição, é essencialmente a técnica de criação de imagens por meio de exposição luminosa, fixando-as em uma superfície sensível.  

A primeira fotografia reconhecida remonta ao ano de 1826 e é atribuída ao francês Joseph Nicéphore Niépce. Contudo, a invenção da fotografia não é obra de um só autor, mas um processo de acúmulo de avanços por parte de muitas pessoas, trabalhando, juntas ou em paralelo, ao longo de muitos anos. Se por um lado os princípios fundamentais da fotografia se estabeleceram há décadas e, desde a introdução do filme fotográfico colorido, quase não sofreram mudanças, por outro, os avanços tecnológicos têm sistematicamente possibilitado melhorias na qualidade das imagens produzidas, agilização das etapas do processo de produção e a redução de custos, popularizando o uso da fotografia.

Atualmente, a introdução da tecnologia digital tem modificado drasticamente os paradigmas que norteiam o mundo da fotografia. Os equipamentos, ao mesmo tempo que são oferecidos a preços cada vez menores, disponibilizam ao usuário médio recursos cada vez mais sofisticados, assim como maior qualidade de imagem e facilidade de uso. 

A simplificação dos processos de captação, armazenagem, impressão e reprodução de imagens proporcionados intrinsecamente pelo ambiente digital, aliada à facilidade de integração com os recursos da informática, como organização em álbuns, incorporação de imagens em documentos e distribuição via Internet, têm ampliado e democratizado o uso da imagem fotográfica nas mais diversas aplicações. A incorporação da câmera fotográfica aos aparelhos de telefonia móvel têm definitivamente levado a fotografia ao cotidiano particular do indivíduo.

Dessa forma, a fotografia, à medida que se torna uma experiência cada vez mais pessoal, deverá ampliar, através dos diversos perfis de fotógrafos amadores ou profissionais, o já amplo espectro de significado da experiência de se conservar um momento em uma imagem.

(Leia mais em: Wikipédia)

Atividade:
Documentar, divulgar, protestar, denunciar, encantar e seduzir, são algumas das tantas possibilidades que a fotografia nos proporciona.
É com o ato de fotografar que conseguimos uma das que conseguimos uma das maneiras de eternizarmos momentos, para não deixar apagar da nossa memória.
Sendo assim, para melhor compreender as características da fotografia e do ato de fotografar, como acontece a captura de luminosidade, linhas e quais os tipos de fotografia, a professora trouxe um ex-aluno de nossa escola e que hoje é fotógrafo profissional formado pela Univali, José Victor, para palestrar e complementar o tema.

Turma:
3ª Série 03 e 04 do Ensino Médio

Professora:
Jéssica Souza

Disciplina:
Arte

Amostra da Atividade:
(Clique na Imagem para Ampliar)




quinta-feira, 17 de março de 2016

Técnica de Desenho com Carvão

Introdução:

O carvão é um material clássico no desenho, talvez o mais antigo. Usa-se para esboçar ou para desenhos definitivos de acordo com o suporte e a intenção. Já os homens primitivos usavam galhos queimados para desenhar.  
No Renascimento foi usado profusamente para fazer estudos preliminares  em paredes para "frescos".  
Atualmente é correntemente usado em aulas de artes visuais e em escolas e academias de arte, pois proporciona gradações muito expressivas. Nas aulas de desenho e figura humana é um dos materiais mais usados pelas suas ótimas características de riscador, que se deposita suavemente no papel ao sabor dos gestos e que é possível apagar com miolo de pão, borrachas apropriadas (por ex: PVC) ou mesmo com um pano macio.

O carvão pode ser obtido a partir de ramos de salgueiro ou videira carbonizados (dentro de um recipiente fechado). Obtêm-se diversas durezas de carvão conforme o tempo de carbonização. O carvão pode ainda encontrar-se à venda no mercado, em variadas durezas quer sob a forma de pequenos galhos carbonizados com o aspecto original, quer com formas regulares de paralelepípedo ou cilindro e ainda envolvido por madeira. 

A escolha do papel é fundamental para o aspecto do trabalho pois o carvão comporta-se diferentemente em papéis mais lisos ou mais regulares ou mais rugosos, acentuando a sua textura. É importante também que o papel seja suficientemente sólido para resistir à borracha sem o esfolar.

Carvão em pau - apresenta-se com a forma original dos galhos. Os mais suaves são galhos de vinha. 

Carvão em barra regular - pode ser cilíndrico ou paralelipipédico. Existe em várias grossuras e durezas. Têm mais ou menos 18 cm de comprimento, tendo os mais grossos cerca de 1 cm de diâmetro. Podem ser cuidadodsamente afiados. Os mais grossos podem afiar-se sobre uma superfície abrasiva como a lixa.

Carvão comprimido - são blocos de carvão obtidos pela redução a pó de madeira carbonizada misturada com ligante e comprimidos em forma de barra. Têm dimensões ente 9 e 12 cm e grossuras de cerca de 0,6 cm. Partem-se menos durante o trabalho, pois são mais resistentes. Em contrapartida também são mais difíceis de remover com a borracha.

Lápis de carvão - com carvão moído e aglutinado com um ligante fazem-se minas que se envolvem em madeira ou papel enrolado. São mais limpos mas têm a característica por vezes negativa de só se poder usar a ponta, não se conseguindo facilmente obter traços grossos como nas outras modalidades. Existem numa escala que vai de 6B, passando por HB, até aos duros (8H).

Embora não constitua propriamente uma regra, alguns artistas, usam as próprias mãos para espalhar o carvão no desenho. Este processo, se for bem sucedido não deve ser posto de parte. 

O trabalho de carvão é muito frágil. No final dos trabalhos o desenho deve ser fixado, coberto com um spray próprio, ou com uma solução vaporizada de álcool e goma laca.

Leia mais em: (Amo PintarDesenho)


Atividade:
A professora fez a introdução do conteúdo, sobre como trabalhar com o material, quais artistas e épocas mais marcaram a técnica do uso do carvão. Então os alunos realizaram suas próprias produções em diferentes papéis, tamanhos e desenhos.

Turma:
1ª Série 01, 02 e 03 do Ensino Médio

Professora:
Iara Gasperi da Silva

Disciplina:
Arte

Amostra dos Trabalhos:
(Clique na Imagem para Ampliar)






















 


quarta-feira, 16 de março de 2016

Projeto: Todos Contra o Aedes Aegypti

O Pacto Nacional da Educação em 2016 firmou compromisso com o combate ao mosquito Aedes Aegypti.
Que nos últimos meses tem causado grandes danos a saúde da população Brasileira, e também em outros países. Pois, um só mosquito é capaz de transmitir diferentes doenças, confira algumas informações:

Dengue: A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em 1986. Estima-se que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo.

Chikungunya: A Febre Chikungunya é uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014. Chikungunya significa "aqueles que se dobram" em swahili, um dos idiomas da Tanzânia. Refere-se à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na Tanzânia, localizada no leste da África, entre 1952 e 1953. 

Zika: O Zika é um vírus transmitido pelo Aedes aegypti e identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015. O vírus Zika recebeu a mesma denominação do local de origem de sua identificação em 1947, após detecção em macacos sentinelas para monitoramento da febre amarela, na floresta Zika, em Uganda.
Microcefalia é uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, ou seja, igual ou inferior a 32 cm. Essa malformação congênita pode ser efeito de uma série de fatores de diferentes origens, como substâncias químicas e agentes biológicos (infecciosos), como bactérias, vírus e radiação.

O Ministério da Saúde confirmou a relação entre o vírus Zika e a microcefalia. O Instituto Evandro Chagas, órgão do ministério em Belém (PA), encaminhou o resultado de exames realizados em um bebê, nascida no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas. Em amostras de sangue e tecidos, foi identificada a presença do vírus Zika. Essa é uma situação inédita na pesquisa científica mundial.

As investigações sobre o tema, entretanto, continuam em andamento para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. Em análise inicial, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez. O achado reforça o chamado para uma mobilização nacional para conter o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, responsável pela disseminação doença.





Como parte importante do conteúdo didático escolar o tema está sendo trabalhado em todas as turmas com todas as turmas de nossa unidade escolar.

Veja Alguns Registros dos Trabalhos e Pequisas Realizadas:

Língua Portuguesa (8º Ano 01, 03 e 04)